Pular para o conteúdo principal

Postagens

                      JM Conjuntura – 2021.10.03         A fome assola o país. Mas não atinge a todos. Um levantamento feito pelo economista Eduardo Moreira e apresentado em live [1] , mostra uma situação francamente escandalosa. Moreira, desde 2013, figura com um dos melhores entre os economistas brasileiros, reconhecido pela Revista Época Negócios. Na sexta-feira santa (20/04) do ano passado (2020), teve uma grande conversa com o ex-presidente Lula [2] . É autor do livro “O que os donos do poder não querem que você saiba”. Nestes últimos meses, 20 milhões brasileiros voltaram para o mapa da fome. Em grupos e redes sociais circulam imagens de gente pobre catando ossos, restos de supermercados e frigoríficos para raspar restinhos de carne e colocar alguma proteína no prato. Para o Programa Bolsa Família - agora chamado de Auxílio Brasil para tirar a lembrança ao PT e cunhá-lo como invenção de Bolsonaro/Guedes - o atual governo prevê 40 bilhões de reais em 2022, ainda não assegura
Postagens recentes
O PIB DO BRASIL E A MENTIRA DE 2021.1*  William Lima Freire*       Para quem acompanha as noticias sobre economia, em meados de 2021 passou a ser noticiado uma recuperação da economia brasileira, de acordo com tais notícias o PIB do Brasil se recuperou magicamente em 1 trimestre e voltou ao "patamar" de 2019, graças a um "absurdo" crescimento de 1,2%, tais notícias usam o próprio IBGE como "fonte". Não precisa ser genial para se perguntar como um PIB que caiu -4% se recuperou magicamente com um crescimento de 1,25%. Apesar disso, eu trouxe alguns números do próprio IBGE para serem observados. Ano            PIB                Variação 2014   1000 2015     965         -3,55% 2016     933      -3,28% 2017     945         1,32% 2018     962      1,78% 2019     976      1,41% 2020     936      -4,06% 2021,1     947      1,2% Fonte: IPEADATA, dados do IBGE   Admitindo o PIB de 2014 como referência igual a 1000, observa-se que o P

JM – Análise de Conjuntura 2021.05.16

  Tivemos novamente uma semana repleta de fatos e acontecimentos importantes e não teremos condições de em 10 minutos colocar tudo que é necessário nesta análise. Terei que fazer algumas opções e me perdoem se emitir algum comentário esperado.            A política nacional mostrou, mais uma vez, o total descaso do atual governo com os interesses da nação, com as necessidades da população. Recordamos alguns episódios. Em vários Estados começam a faltar vacinas e a campanha de imunização ficou prejudicada. Tanto o Butantã quanto o Instituto Fiocruz ficaram sem os insumos chineses para produzir e distribuir o imunizante. De acordo com informação divulgada em diversos meios, a Pfizer afirma que, em agosto passado, ofereceu ao Brasil a venda de 70 milhões de vacinas contra a Covid-19 [1] . Posteriormente, fez diversas novas propostas de venda da vacina. A Pfizer enviou um primeiro lote de 1 milhão de doses vindo da Bélgica [2] no final de abril, mas teve seu uso restrito a capitais qu

Bobos e Iludidos

 Renato Dionisio*  Saudações luminosas...    A cultura humana, ou de um determinado povo, somente se eterniza, pela utilização permanente dos meios a sua disposição, tais como a escrita, os costumes, as artes e tudo mais que possa transcender o espaço temporal, aliás, é este feixe de ações materiais ou imateriais que comumente chamamos História. Portanto, a conservação e proteção destes bens, são em última análise, a defesa da preservação das ações humanas até nós e seu efetivo aproveitamento pelos que adiante virão.     A queima da biblioteca de Alexandria, na antiguidade. A incineração de incontáveis títulos, literários ou científicos, durante o terrível período da inquisição. O incêndio, criminoso ou não, do Museu Nacional, no Rio de Janeiro que dispunha de incontáveis documentos atestadores da saga e da luta de nosso povo. Juntos, ou cada um, representaram um ataque à civilização, ainda bem que estes tesouros, encontraram defensores de suas restaurações, posto que assim, continuara

Análise de Conjuntura 2021.05.08

Assistimos, no mundo e no Brasil, a uma imensa confusão em torno da produção, distribuição e aplicação de vacinas contra a doença causada pelo novo coronavírus, o SARS-COV-2. Com 17% da população mundial , ou seja 1,3 bilhões de pessoas, o continente africano até a semana que passou, recebeu apenas 1% das vacinas disponíveis contra a Covid-19, assim informou a OMS . Nos Estados Unidos, até o dia 6 de maio, já foram vacinados com a primeira dose 45% da população, e mais de 32% já recebeu a segunda dose. Até o final deste mês de maio, este país já deve ter vacinas sobrando . A Europa tem apenas 10% da população mundial (cerca de 750 milhões de pessoas). A velocidade da imunização está aumentando em vários países europeus, e a União Europeia conseguiu fechar um contrato de compra de 900 milhões de doses entre 2021 e 2023. O Brasil, como a maioria dos países pobres (em desenvolvimento), enfrenta dificuldades em conseguir doses, também por causa das posturas irresponsáveis do governo feder

Descarado deboche

   O país assistiu com um misto de incredulidade e desanimo ao anúncio do cancelamento do já outrora adiado, Censo Demográfico Brasileiro. Este inestimável estudo nacional, organizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística IBGE, foi instituído legalmente através do decreto lei Nº 24609 de 29 de março de 1936, e previa a aplicação de questionários de pesquisa em todos os Lares brasileiros no intervalo de dez em dez anos, cujo objetivo e traçar um perfil socioeconômico do país.    Em 2020, o Governo Federal utilizou a COVID 19 como argumento para a não aplicação dos questionários, posto que, o orçamento daquele ano previa um gasto de 2,3 bilhões com esta atividade. Como não realizou no ano passado, o ministério do planejamento junto com seu congênere da economia, que são os responsáveis da elaboração da peça orçamentaria, que será enviada ao legislativo para aprovação e assim possa ser aplicada no ano seguinte.     Pode parecer aos menos avisados uma atividade não essencial

O TAMANHO DO ESTADO E AS PRIVATIZAÇÕES*

 Publicado originalmente no Jornal O Imparcial, desta sexta feira, 23/04/21. Saudações Luminosas...                Renato Dionisio*  Desde que o homem passou a ser um animal gregário aos dias atuais, uma de suas constantes preocupações é de que forma ordenar e organizar contingentes cada vez maiores em determinado espaço geográfico. Isto que a civilização moderna instituiu como sendo o Estado Nacional. Definir o modo de produção das riquezas. Instituir um sistema de segurança comum. Estabelecer formas de transporte e o papel social de cada vivente pelo gênero, pela origem racial e pela forma como se relacionam interpessoalmente. Como vimos, tarefa das mais difíceis de equacionamento. Nesta surda guerra, a visão dominante, é balizadora do tamanho e do destino de cada Estado, no quanto ele interfere ou não na vida e nos anseios de todos os seus partícipes. Ao vencedor, quer pelas armas ou por sufrágio, é dado o “direito” de definir o seu sistema econômico, no presente, entre o socialismo